Imunoalergologia

Imunoalergologia
Imunoalergologia
Pedro da Mata

Pedro Lopes da Mata

Susana Marques

Susana Marques

Marta Neto

Marta Neto

Elena Finelli

Elena Finelli

Ana Castro Neves

Ana Castro Neves

A especialidade

As doenças alérgicas atingem 25 a 30% da população e poderá atingir uma em cada duas pessoas em 2050.

Existem várias formas da doença alérgica se expressar como a rinite, a conjuntivite, a asma, a urticária, o eczema, os problemas gastrintestinais e a mais grave de entre elas a anafilaxia que pode ser fatal.

Um doente alérgico pode apresentar as várias doenças alérgicas ao mesmo tempo ou ir passando por todas elas ao longo da sua vida.

As principais causas são os ácaros do pó e os pólenes representam a maior parte dessas causas, mas não devemos esquecer os animais de estimação, os fungos, as alergias a venenos (himenópteros), a medicamentos, ao latex e as alergias de contacto.

Entre os alimentos alérgicos eles são muito variados, mas se juntarmos o ovo, o trigo, o amendoim, o leite de vaca, a soja, o peixe e o marisco encontramos justificação para mais de 80% das alergias alimentares … os outros 20% é muitas vezes um trabalho “policial”.

Para responder a estas necessidades de diagnóstico, muitas vezes difícil e moroso, a especialidade de imunoalerglogia tenta encontrar o(s) elemento(s) alergizante(s) e posteriormente propor um tratamento que pode passar pela evicção, pela medicação e pela imunoterapia (vacinas antialérgicas) sem esquecer a importância da educação e cumplicidade que deve ser criada entre ele e o doente.